terça-feira, 12 de outubro de 2010

Contexto histórico mundial- Que mundo a moda vivia na década de 70?



A década de 70 foi marcada por importantes transformações políticas, econômicas e sociais no mundo, que passava por crises econômicas, golpes militares, guerras, violência política, revoluções e muitos conflitos.
 Tal contexto influenciou os grandes costureiros da época a determinar um estilo que deu continuidade a contracultura da década de 60, após o fim da guerra do Vietnã, a moda foi um um reflexo do que era visto numa sociedade conturbada e transformadora.
Em Portugal, aconteceu a Revolução dos Cravos ( 25 de Abril de 1974 ), que obteve grande aceitação popular, promulgou-se assim uma Constituição altamente democrática, o que causou a impressão de que logo  tornaria-se um país socialista, tamanha a força política dos comunistas. Por consequência também desta revolução, as colônias portuguesas na África: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe conquistaram sua independência. O Timor-Leste também proclamou a sua independência, em 1975. Neste mesmo ano começou uma Guerra Civil no Líbano. em decorrência dos conflitos religiosos entre cristãos e muçulmanos e também pela exigência de ampliação dos direitos politicos (Naquela época quem detinha o poder naquele país eram os cristão que representavam a minoria rica da população).
Em 11 de setembro de 1973 aconteceu um golpe militar no Chile, que passou a viver um regime ditatorial com Augusto Pinochet, o qual derrubou o governo de Salvador Allende. Pinochet conquistara tal feito ao invadir o palácio do governo, com o apoio das Forças Armadas e o bombardeando, de forma que ocasionou a morte de Allende.
Na União Soviética, sob a gestão neo-stalinista de Brejnev, a economia caminhara progressivamente, o que fez o exército vermelho ser o mais poderoso e influente no mundo,  os norte-americanos, que preferiram tomar o caminho da paz, nas gestões Richard Nixon, Gerald Ford e Jimmy Carter.
 O mundo vivera a Guerra Fria, onde vários países se envolveram nos conflitos militares daquela época. Um deles foi quando Angola e Moçambique declararam guerras civis (a guerra civil de Angola e a Guerra de desestabilização de Moçambique). Ao mesmo tempo, intensificaram-se as lutas de libertação da Rodésia (que ascendeu à independência em 1980) e da Namíbia, que só se libertou da África do Sul com a derrocada do regime do apartheid, em 1990.
O clima nos EUA não estava bom para a política, quando em 9 de agosto de 1974 – Após o  escândalo político no caso Watergate -  descobriram que a sede do partido democrata estava sendo espionada por assessores diretos do presidente Richard Nixon. Isso fez com que ele renunciasse à presidência dos EUA.
Porém, antes de renunciar, Nixon em 1973 determinou o fim da Guerra do Vietnã, que derrotou os Estados Unidos da América. Pode-se dizer que a Guerra contra o Vietnã foi uma mostra de que o maior poder bélico não vence uma boa estratégia. Quando os EUA entraram na guerra, investiram muito em armas sofisticadas, e chegaram a mandar cerca de um milhão e meio de soldados para o combate. A verdade é que eles conseguiram dizimar muitos vietnamitas, mas em contrapartida, comparado ao aparato militar que os americanos possuiam, eles tiveram baixas muito mais significativas. O maior segredo para o Vietnã ter conseguido ganhar a guerra foi o grande conhecimento de seu território. Sabiam os esconderijos, e , por isso, tinham estratégias muito bem elaboradas contra os seus inimigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário